Ao meu corpo

Foto: Divulgação

Rodôlfo Aquino (Senador Rui Palmeira/AL)

SINOPSE
O experimento de dança contemporânea, “Ao meu corpo” é um mergulho profundo nas narrativas afroqueerentradas de bixas pretas que constroem e tecem suas existências a partir de poéticas políticas de estéticas negras LGBTQIA +. Traçando uma narrativa performática por meio de atravessamentos urbanos e sócias que afetam corpos negros. Dançar o eu/corpo é um chamamento ancestral para torna-se eu/negro/corpo.

FICHA TÉCNICA
Bailarino/Performer: Rodôlfo Aquino | Captação e edição de imagem: Jadiel Ferreira | Direção: Jadiel Ferreira | Trilha sonora: Jadiel Ferreira | Créditos – Vozes/leituras de poemas e textos: Anarielly Santana (poemas e textos), Ao meu corpo (Rodôlfo Aquino), Testando (Rodôlfo Aquino), Ausência (Loise Queiroz), Preciso Recordar é Preciso (Conceição Evaristo), Filhos na rua (Conceição Evaristo), Descalço (Loise Queiroz), Pedro Ivo – poemas Diásporas; Mordaça; Mojubá. Rodôlfo Aquino/texto *torna-se negro | Duração: 17 min | Classificação livre